Quem se recoloca é o profissional e não a empresa de recolocação. Que eu tenha conhecimento, não há empresas sérias e honestas que se proponham a cobrar integralmente seus honorários apenas após a recolocação. Algumas arapucas pegam uma parte do pagamento orçado para seu projeto de recolocação, dizendo que têm várias oportunidades que “batem exatamente com seu perfil.” mas precisam que você responda uns testes que precisam ser pagos, claro.

Depois que esses picaretas recebem alguma coisa, dizem que as vagas foram preenchidas e assim sobrevivem expurgando as reservas de pessoas desempregadas pela falsa esperança de que lhes conseguirão o emprego dos sonhos.

Aquele famoso ditado pode se aplicar aqui – quando a esmola é demais, melhor desconfiar do santo – e nesse mercado não tem santo de verdade. Raciocinando, como uma empresa séria poderia se sustentar no mercado se ela não controla a qualidade de seus candidatos e sua química com os selecionadores das vagas em aberto. A conta não fecha. Acho melhor você investir, se puder, em uma empresa séria que vai ajudá-lo a se preparar para o “emprego” de buscar uma colocação – o que cabe 80% a você mesmo. Essas empresas sérias podem apoiá-lo na preparação de um CV, de sua efetiva comunicação na entrevista e mais importante saber identificar no mercado as oportunidades que fazem sentido para seu perfil, com uma visão realista e sustentável. Sem contar com sorte grande e milagres, a recolocação requer esforço e resiliência, com ou sem auxílio de uma consultoria.