O que a ciência nos diz sobre potencial de liderança

É como dizem, “pessoas começam a trabalhar para empresas, mas se demitem dos seus chefes”. E a taxa de descarrilamento, falta de ética e comportamento contra produtivo no trabalho é tão alta que está cada vez mais difícil se chocar com o lado sombrio deles. Uma pesquisa indica que 30% a 60% dos líderes agem de forma destrutiva, com um custo estimado entre 1 e 2,7 milhões de dólares para cada executivo fracassado.

Parte do problema é que muitas opiniões generalizadas sobre liderança não estão de acordo com as evidências científicas. Como Mark Twain supostamente falou: “Não é o que você não sabe que te traz problemas. É o que você sabe com certeza que não é verdade.”. Por exemplo, é comum as pessoas acreditarem que liderança varia conforme a situação, que não é possível prever como alguém vai agir como um bom ou péssimo líder. Por esta perspectiva, qualquer pessoa pode ser um líder. Mas, na verdade, algumas pessoas têm uma probabilidade muito maior de se tornarem líderes, independentemente do contexto, e essa probabilidade pode ser quantificada com precisão com avaliações psicológicas eficazes.

O que realmente sabemos sobre a mensuração do potencial de liderança? Aqui estão algumas descobertas importantes:

Quem se torna Líder?

Embora os líderes venham em muitas formas, algumas características de personalidade são capazes de predizer consistentemente a probabilidade de alguém se tornar um líder. Pessoas que são mais estáveis emocionalmente, sociáveis, ambiciosas e curiosas são muito mais propensas a se tornarem líderes. Altos níveis de capacidade cognitiva também aumentam a probabilidade de um indivíduo despontar como líder, embora em menos de 5%.

Quais são as características-chave dos líderes eficazes

Uma boa maneira de medir a eficácia de um líder é avaliar a performance da sua equipe e compará-la a de seus concorrentes, se possível. A liderança é o principal recurso de uma equipe, portanto, bons líderes são capazes de alavancar a performance de deus funcionários. Embora os mesmos traços de personalidade e habilidade descritos acima ajudem os líderes a se tornarem mais eficazes – eles não são apenas vantajosos para conquistar a liderança – os melhores líderes também apresentam níveis mais elevados de integridade, o que lhes permite criar uma cultura justa em suas equipes e organizações. Além disso, líderes eficazes geralmente são mais inteligentes emocionalmente, o que lhes permite manter a calma sob pressão e ter melhores habilidades para lidar com pessoas.

Como essa pessoa irá liderar?

Cada líder tem um jeito específico de liderar. A liderança depende muito da personalidade. Líderes ambiciosos tendem a ser mais empreendedores, por isso estão focados no crescimento e na inovação. Os líderes curiosos, sociáveis e sensíveis tendem a ser mais carismáticos, embora o carisma geralmente reflita traços do lado sombra, como o narcisismo e a psicopatia. Pesquisas também destacam que as diferenças de gênero refletidas na liderança, com os homens sendo mais transacionais e as mulheres mais transformacionais. No entanto, os papéis de gênero são entendidos como variável psicológica e normalmente distribuída, uma vez que as pessoas diferem em masculinidade e feminilidade, independentemente do seu sexo biológico.

Pessoas nascem ou se tornam líderes?

Qualquer padrão observável de comportamentos humanos é o derivado das influências genéticas e ambientais, então a resposta é: ambas. Estimativas sugerem que a liderança é de 30% a 60% hereditária, pois os traços de caráter que moldam a liderança – personalidade e inteligência – são hereditários. Embora isso sugira fortes influências biológicas sobre a liderança, não significa que a educação seja menos importante.

Qual o papel da cultura na liderança?

A cultura é fundamental porque impulsiona o engajamento e o desempenho dos funcionários. No entanto, a cultura não é a causa da boa liderança tanto quanto seu resultado. Os líderes criam as regras explícitas e implícitas de interação para os funcionários da empresa, e essas regras afetam o moral e os níveis de produtividade. Quando os valores das pessoas estão alinhados aos valores da organização (e liderança), eles terão níveis mais altos de compatibilidade e propósito.

Quão cedo podemos prever o potencial?

Qualquer predição é uma medida do potencial ou probabilidade de algo acontecer.  Como a liderança é parcialmente dependente da genética e das experiências da primeira infância, é até possível prever o potencial de uma pessoa ainda criança. Contudo, os indicadores mais comumente utilizados para se estimar o potencial de liderança – realizações educacionais, inteligência emocional, ambição e QI – possam ser previstos numa idade precoce, seria ingênuo se achar que eles são mais maleáveis.

O gênero importa?

Menos do que se imagina. O fato de que a maioria dos líderes ser de homens está mais relacionado a fatores sociais do que ao gênero propriamente dito. Na verdade, alguns estudos mostram que mulheres são mais eficazes como líderes no trabalho, mas isso pode ser porque os critérios para promover mulheres para posições de liderança são mais exigentes do que aqueles para indicar homens, o que cria um excesso de homens incompetentes em cargos de liderança. A solução não é conseguir que mulheres tenham atitudes como as dos homens, mas, sim, selecionar líderes com base em suas competências reais.

Por que líderes descarrilam?

O que leva um líder a se perder pelo caminho não é a falta de qualidades do lado luz, mas, sim, a coexistência com as tendências do lado sombra. Por isso é tão importante que os programas de desenvolvimento de liderança e intervenções de coaching para se identificar as limitações dos líderes e ajudá-los a manter suas tendências tóxicas sob controle.

Embora essas descobertas tenham sido replicadas em múltiplos estudos, um cético poderia perguntar: “Agora que estamos (supostamente) vivendo em uma era de mudanças tecnológicas sem precedentes, algumas dessas descobertas podem estar desatualizadas?”.

Na verdade, não.

A liderança vem evoluindo ao longo de milhões de anos, nos ensinando a viver em sociedade. Portanto, é improvável que os principais fundamentos da liderança mudem. Dito isto, as habilidades e qualidades específicas que permitem que os líderes e suas equipes se adaptem ao mercado certamente dependem de um contexto. Por exemplo, assim como a força física era mais importante e a habilidade intelectual era desvalorizada no passado, diferenciais como curiosidade, empatia e criatividade se tornam mais importantes em um mundo onde a tecnologia e a inteligência artificial são cada vez mais presentes.

A ciência da liderança está bem estabelecida. Não há necessidade real de progresso nesta área, para melhorar as práticas do mundo real. O que deve ser feito é se concentrar no que já sabemos e ignorar o que achamos que sabemos, mas não é verdade.

Com o relatório Hogan Potencial da Liderança, é possível identificar os traços de personalidade de um indivíduo e, assim, avaliar se este tem perfil de líder.21