Estes tipos de Chefe podem abalar sua saúde – fique alerta
C4NPMK Portrait of a stressed businessman with his forehead resting on the computer keyboard

A saúde dos trabalhadores está cada vez mais comprometida por fatores de seu ambiente de trabalho. O grande volume de trabalho, a crescente pressão por resultados e, principalmente, péssimos líderes são alguns dos principais motivos para ameaçar a saúde dos trabalhadores. Uma pesquisa realizada pelos suecos do instituto que estuda o estresse revelou que 60% dos funcionários que têm chefes ruins podem desenvolver doenças cardíacas.  Além disso, gestores ruins também causam desmotivação e dificuldades na execução das tarefas diárias. Segundo um estudo do Gallup, equipes com maus líderes são 50% menos produtivas e 44% menos lucrativas, em relação a equipes bem geridas.

Veja a seguir quatro tipos de chefes que desmotivam e prejudicam a saúde dos membros da equipe:

O chefe incompetente

Ser líder não é apenas conquistar uma sala exclusiva e mandar nos funcionários, esperando que eles realizem todo o trabalho por você. Liderar com excelência exige que o profissional seja inspirador, possua conhecimento e esteja disposto a compartilhar isso com a sua equipe. Do contrário, os funcionários podem se sentir perdidos e sem o apoio necessário para fazer seu trabalho.

Para que um líder conquiste o respeito da sua equipe, o primeiro passo é demonstrar que tem competência o bastante para assumir seu cargo e conduzi-lo de forma eficaz. Mais do que nunca, é imprescindível que um gestor tenha profundo conhecimento do seu mercado e esteja sempre em busca de atualizações para não ficar ultrapassado.

O chefe grosso

O respeito deve estar acima de tudo, e isso é do conhecimento de todos. Porém, a quantidade de chefes desrespeitosos e inconsequentes, que não medem palavras e  assediam moralmente as pessoas ainda é grande.

Segundo Christine Porath, professora de gerenciamento na Universidade de Georgetown, o comportamento rude, desrespeitoso e insensível de um líder pode afetar negativamente toda a empresa. Esse tipo de comportamento impacta diretamente a saúde física e emocional dos funcionários, deixando-os desmotivados e estressados e aumentando a taxa de rotatividade da organização. Independentemente das habilidades que os funcionários possuam, eles não conseguem realizar um bom trabalho em um ambiente desagradável em bases sustentáveis.

O chefe enigmático

Ser transparente com a equipe ajuda muito no desenvolvimento de uma relação de confiança. Esconder dos funcionários tudo o que acontece dentro da empresa pode ser encarado como um ato de manutenção da confidencialidade e segurança pelos gestores, mas, na verdade, apenas gera insegurança e deixa os colaboradores desconfiados.

Christine Porath afirma que compartilhar informações da empresa com os funcionários faz com que eles entendam melhor sobre o trabalho que executam e identifiquem formas de como podem melhorar seu desempenho e, consequentemente, os resultados da empresa.

Ter como cultura da empresa o compartilhamento de informações dos negócios também estimula os funcionários a compartilharem tudo o que realizam no seu dia a dia, tornando o ambiente de trabalho muito mais colaborativo.

O chefe calado

Uma das piores atitudes que um chefe pode tomar é deixar seus funcionários no escuro, não dar feedbacks e não falar sobre o desenvolvimento do trabalho da equipe. E, levando em conta que liderar significa (ou deveria) levar a equipe para o caminho do sucesso, conversar com os colaboradores é essencial para guiá-los corretamente.

Seus funcionários precisam de um gestor que compartilhe conhecimento, que os ajude a melhorar seu desempenho e desenvolver suas habilidades para o crescimento profissional.