Conceptual image of businessteam working cohesively. Interaction and unity

O engajamento de funcionários é um tema onipresente em conversas de RH desde profissionais independentes até a alta liderança das empresas. Não surpreende que as empresas estejam atentas. Estudos mostram que funcionários trabalham com mais eficiência, têm probabilidade menor de deixar seus empregos e estão mais propensos a ter orgulho do trabalho e da empresa quando estão engajados.

O comprometimento do funcionário também está ligado a uma série de resultados financeiros importantes, incluindo altos níveis de satisfação do cliente e um ambiente de colaboração e criatividade, além de reduzir o número de acidentes. Empresas engajadas são mais felizes e, provavelmente, mais produtivas.

Engajamento não se trata apenas de tornar felizes os funcionários no trabalho; é sobre trazer o melhor das pessoas, estimulando todo o seu potencial dia após dia. Como gestores, muitas vezes desconhecemos nossos comportamentos que desengajam nossos funcionários. A personalidade e valores de um líder têm um profundo impacto na habilidade individual de atender três necessidades psicológicas básicas:

– A necessidade de um bom relacionamento: bons líderes estimulam o trabalho em equipe, a amizade e a colaboração através de conflitos saudáveis e bons relacionamentos. Líderes incapazes tendem a dividir e isolar funcionários com o uso de manipulação, microgerenciamento ou liderança de comando e controle.

– O desejo de ser bem-sucedido: bons líderes promovem a contribuição do funcionário e celebram seus sucessos; eles são vistos como justos e definem claramente as regras do jogo para cada membro da equipe. Em contraste, líderes ruins culpam seus funcionários por seus próprios fracassos e competem com eles, muitas vezes tomando crédito pelas conquistas dos outros.

– O desejo de encontrar significado, no trabalho e na vida: bons líderes dão aos seus subordinados um senso claro de propósito e uma missão com significado. Através de uma missão clara, eles explicam a importância do trabalho e da estratégia a longo prazo da empresa. Por outro lado, líderes ruins alienam seus funcionários privando-os de enxergarem significado nas tarefas que realizam.

 

Olhe-se no espelho
Enquanto as estratégias gerais de se gerar o engajamento dos funcionários podem variar entre as empresas, a discussão deve sempre começar e terminar com a liderança. Os departamentos de RH se baseiam nos resultados das avaliações anuais enquanto procuram formas de aumentar o comprometimento dos funcionários, mas a melhor maneira de alcançar isso é olhar para a própria gestão.

Liderança e gestão eficazes são cruciais para o engajamento dos funcionários. De fato, nossos dados indicam que 20 a 30% da variação do engajamento de funcionários pode ser atribuída a fatores diretamente relacionados à liderança, particularmente ao gestor direto.

Grandes líderes engajam seguidores e aproveitam sua energia para que eles apliquem suas melhores habilidades. Eles criam sinergias e tornam jogadores individuais médios em um time vencedor. Sua personalidade determina como você vai se comportar, as decisões que você toma e a cultura que você vai quer promover sob sua liderança, e essas três consequências do seu caráter vão ter um impacto substancial na performance e moral da sua equipe.

Se você é um líder faça a si mesmo as seguintes perguntas: você estabelece metas claramente? Você cria processos de equipe eficazes? Que tipo de clima você está criando? Há um alinhamento claro entre o que você diz e o que faz? Você dá feedbacks construtivos aos seus funcionários? Você estimula sua equipe a apresentar o melhor nível de performance possível? Finalmente, você sabe o que sua equipe está pensando agora?

 

Fazer um pouco a mais

Quando as pessoas estão engajadas, elas encontram sentido no trabalho e sentem orgulho do que fazem. Estão dispostas a fazer um pouco mais e trabalharem além de seus papeis formais e responsabilidades.  O ponto principal é que a liderança cria engajamento, ótimos desempenhos equivalem a uma melhor performance organizacional. O engajamento é a métrica final para avaliar a eficácia da liderança.

 

Com HR Examiner