Você já parou para refletir sobre a razão pela qual não consegue contratar os indivíduos com a mais alta performance em sua empresa? Ou a razão pela qual novos funcionários fracassam e abandonam o “barco” em tão pouco tempo?

Provavelmente você está confiando de maneira muito exagerada nas entrevistas que faz no processo de seleção.

A maioria das entrevistas de emprego não possui uma estrutura consistente. No geral, avaliadores dão uma olhada no currículo do candidato, seguem uma lista de questões sugeridas e tentam analisar a linguagem corporal da pessoa.

Essas práticas prestam um enorme desserviço à empresa e aos candidatos. Se continuar dessa maneira, as chances de selecionar profissionais qualificados serão as mesmas de jogar cara ou coroa.

Não só o processo seletivo perde oportunidades em contratar os profissionais mais adequados para sua empresa como também abre mão de algo muito importante para as organizações: a diversidade.

Qualquer organização que disponha de iniciativas sólidas de diversidade entre os funcionários deve dedicar mais zelo ao processo de entrevistas. Qualquer um que seja responsável pelo processo seletivo – e mesmo que tenha a melhor das intenções – ainda estará propenso a discriminar candidatos com base no gênero, idade, peso, etnia, classe social e outros critérios que não estejam relacionados à performance. Como seres humanos, todos exercemos o mesmo comportamento: gostamos mais das pessoas que são parecidas conosco.

Estamos mais dispostos a escolher pessoas que se pareçam mais com a gente, que ajam de modo semelhante e que possuam histórico similar ao nosso.

Surpreendentemente, nosso alcance narcisista vai mais longe. Quando nos encontramos pela primeira vez com alguém, naturalmente fazemos um julgamento inicial, e em seguida uma forte ação interior assume o controle: passamos os próximos quatro minutos da entrevista tentando confirmar as primeiras impressões que tivemos, e após esse ponto, nossas decisões são tomadas.

Sabemos que não podemos efetivamente avaliar a performance de um líder apenas em quatro minutos, mas o nosso subconsciente está mais preocupado em provar que está certo do que dar ao candidato uma chance justa.

De qualquer modo, as entrevistas não são os processos mais confiáveis para selecionar os melhores indivíduos, especialmente se você quiser contratar candidatos com perfis diferentes que vão verdadeiramente demonstrar o melhor desempenho no trabalho.

Quer saber como selecionar os profissionais mais indicados para a sua empresa, sem se apoiar em critérios como gênero, etnia e livre de preconceitos? Conheça a série de relatórios para selecionar e avaliar pessoas, em diferentes níveis e funções organizacionais, oferecidas pela Hogan.

Com Hogan