Entenda porque você não consegue atingir seu potencial máximo

O termo “talento inato” é uma contradição. Ninguém nasce com talento. Todas as pessoas apresentam potenciais diferentes com habilidades e atributos que podem ser desenvolvidos exaustivamente – até que alguém reconheça o esforço desse desenvolvimento chamando a pessoa de talentosa.

A questão a ser respondida, portanto, é por que algumas pessoas são melhores em desenvolver o seu potencial do que outras? É possível que a resposta seja encontrada com base na competência para superar três barreiras importantes:

  1. Autoconhecimento superficial

Uma das descobertas mais consistentes da psicologia é perceber que as pessoas geralmente não conseguem identificar o próprio perfil – as pessoas tendem a acreditar que são melhores do que realmente são.

Por outro lado, quanto mais talentosa uma pessoa é, mais consciente fica de suas próprias limitações. Como resultado, quanto mais você consegue desenvolver habilidades e competências em uma determinada área, melhor você será em avaliar a si próprio. Não é fácil conquistar esse nível de autoconsciência, principalmente durante as etapas iniciais que são cruciais para o ciclo de desenvolvimento do talento. Isso ocorre porque nem sempre recebemos feedback preciso sobre nossa performance e mesmo quando isso acontece, geralmente não o levamos a sério.

Muitas pessoas estão mais preocupadas em manter uma visão positiva de si próprias do que aceitar a realidade. Esse comportamento nos leva a priorizar feedback positivo no lugar das críticas – especialmente quando já acreditamos que somos talentosos.

  1. Motivação fraca

A equação mais simples para avaliar o talento é também a mais mal compreendida. Embora seja verdade que quanto mais talentosa uma pessoa é em algo, menos esforço ela tem para desempenhar bem a habilidade, o esforço ainda é necessário para desenvolver o talento em si. É nessa parte que a motivação aparece.

Quando uma pessoa sente motivação para aprender uma habilidade, o processo se torna mais efetivo e apreciável. O problema é que a maioria das pessoas não quer de verdade o que dizem que querem.

São poucas as pessoas dispostas a fazer o que é preciso para alcançar aquilo que desejam. É muito encorajador dizer que você quer muito trabalhar para o Google ou a Apple, mas será que você quer o suficiente para fazer o que for necessário a fim de tornar esse desejo em realidade?

A motivação verdadeira é o ingrediente chave. As pessoas que realmente conseguem se desenvolver são obsessivas com seus objetivos, tornando a motivação um talento genuíno com o passar do tempo.

  1. Concentrar-se nas qualidades erradas

Todos temos tendências naturais, conhecidas por psicólogos como “personalidade”. Você pode pensar na personalidade como o conjunto de coisas que geralmente fazemos – nossas predisposições para fazer coisas de uma certa maneira em certas situações.

Um fato que muitas pessoas ignoram, ou desconhecem, é compreender que quando a personalidade encontra o ambiente ou o contexto certo, surge uma oportunidade concreta para o indivíduo promover melhorias comportamentais. Em outras palavras, o talento é também a personalidade no lugar certo e na hora certa. Desenvolver o seu potencial máximo é mais fácil quando você escolhe as habilidades que se adequam ao seu perfil.

Algo que é menos óbvio, no entanto, é saber que pode ser perigoso prestar atenção apenas nas suas forças. Na realidade, encontrar o ambiente adequado para tornar a sua personalidade uma força benéfica não é suficiente. Você também precisa estar atento a outras tendências disfuncionais de comportamento que apresenta no ambiente de trabalho.

Com Fast Company