Os seres humanos não são sempre ótimos em tomar decisões. Fato. Com frequência somos preguiçosos, impulsivos, distraídos e facilmente influenciados por nossas emoções.

Os novos tempos certamente mudaram o modo como pensamos e se tornou normal que líderes tomem decisões rapidamente, reagindo ao estresse com ousadia e tomando atitudes drásticas face às adversidades.

Embora os seres humanos tenham evoluído ao ponto de tomar decisões em um piscar de olhos, todos estão suscetíveis a todo tipo de armadilhas que podem conduzir a tomada de decisões ruins.

Existem algumas armadilhas que são comuns, mas que qualquer um pode evitar ao tomar decisões. Confira:

  1. Primeiras impressões importam – geralmente, julgamos as pessoas, lugares e circunstâncias instantaneamente e sem pensar muito. Estudos sugerem que as pessoas dão um peso desproporcional a essas primeiras impressões. Nossos pensamentos tendem a operar mais em termos relativos do que em termos absolutos.
  2. As pessoas possuem uma tendência inata de confiarem excessivamente em seus julgamentos, especialmente quanto pensam que tomaram todas as decisões certas até o momento. A confiança excessiva se torna uma armadilha pois nos leva a tomar decisões de maneira prematura apenas porque acreditamos que sabemos as respostas.
  3. Todo mundo exerce em algum grau o hábito de carregar alguns preconceitos. Geralmente esses preconceitos se vinculam a nossas opiniões e instintos. Com frequência buscamos evidências que comprovem nossas percepções.
  4. Os seres humanos se apegam às ideias de modo irracional. As pessoas insistem em seguir ideias e escolhas antigas porque odeiam admitir que talvez tenham cometido algum erro. No mundo corporativo, onde estão mais vulneráveis a críticas, esse comportamento é ainda mais evidente, já que os profissionais dificilmente admitirão frente aos colegas e sócios que tomaram uma decisão errada.

Na realidade não há garantias de que as decisões que qualquer um tome sejam as certas. No entanto, qualquer pessoa pode aprender com seus próprios comportamentos e hábitos, de modo a garantir que sua abordagem na tomada de decisões se torne mais clara e menos propensa a repetir os erros do passado.

Com Fast Company