Como contratações equivocadas podem prejudicar uma “startup”

O sucesso de uma organização depende, majoritariamente, da eficiência da força de trabalho. E isso nos leva à importância de contratar as pessoas certas para formar times de sucesso, principalmente para empresas que estão começando. No caso de uma “startup”, o processo de contratação de funcionários é o mais delicado, pois um único erro pode atrapalhar todo o seu planejamento. Contratar um profissional problemático pode destruir o clima organizacional antes mesmo de ser desenvolvido.

Uma das principais dificuldades de contratar um funcionário é dedicar o longo tempo requerido para essa tarefa, pois envolve extensos processos seletivos avaliando os perfis e habilidades de acordo com as necessidades da empresa.  Para tentar facilitar e otimizar esse processo, veja a seguir três sugestões que ajudam a criar um planejamento de contratação mais assertivo e menos exaustivo.

  1. Tenha uma base sólida

Ao contrário do que muitos pensam, o processo de contratação não começa com o recrutamento de profissionais. Antes de começar a entrevistar pessoas, é necessário fazer uma completa avaliação das necessidades da empresa para entender o que realmente o seu time precisa.

Sabendo claramente quais são as suas necessidades, o perfil do profissional ideal para sua equipe já vai estar pré-definido e, no momento das entrevistas, será mais fácil identificar quem está mais apto a se juntar ao time da sua empresa.

É importante, também, ter a cultura da empresa definida e um padrão de como o trabalho deve ser realizado. Isso ajuda a contratar o profissional que se adequa às condições e diminui o risco de problemas futuros com funcionários que não se encaixam na cultura da empresa.

  1. Faça o processo seletivo com calma

Um dos segredos para fazer com que um negócio dê certo é dar um passo de cada vez, sempre analisando todas as possibilidades e considerando diversos cenários. Para contratar um funcionário, o cuidado deve ser o mesmo, pois uma contratação errada pode causar danos financeiros e operacionais, prejudicando o crescimento da empresa e o sucesso dos negócios.

O foco é muito importante nesse processo, pois é o que vai guia-lo(a) pelo caminho certo. Depois de construir a base da sua empresa, como falamos no tópico acima, você já tem as informações necessárias para saber que tipo de profissional sua empresa precisa, onde ele(a) deve atuar e como encontrar esse talento.

Fazer as coisas com mais precisão e menos pressa evita dores de cabeça futuras relacionadas ao desempenho do time.

  1. Crie uma equipe com diversidade

Quando um empresário começa a pensar na construção de um time de sucesso, é normal idealizar membros iguais a ele. Mas é hora de começar a encarar a diversidade como um benefício para a equipe, pois traz ideias diferentes, novas maneiras de realizar o trabalho e experiências que podem ajudar no crescimento da empresa.

A diversidade estimula a inovação. E a inovação é um dos requisitos para que empresas ganhem espaço no mercado e trilhem o caminho do sucesso nos negócios.

Ter pessoas parecidas no mesmo time pode parecer inteligente e até funcionar, mas vai faltar uma pitada de diferentes visões e perspectivas para expandir os horizontes das empresas.

Com o Inventário Hogan de Personalidadec( HPI) é possível definir previamente quais os traços de personalidade que mais se adequam ao perfil de profissional que buscaremos no mercado e depois comparar os resultados dos candidatos em relação ao que seria o perfil ideal. Por exemplo, se você definiu que o profissional que você necessita ser muito extrovertido, com muita proatividade social e capacidade de se comunicar com impacto, não adianta contratar alguém que com baixíssima sociabilidade porque certamente, a pessoa estará fadada ao fracasso, por mais que atenda aos requisitos técnicos que você procura. A garantia de que o prognóstico dado pelo HPI é assertivo e preciso é dada pela ciência da psicometria – um diferencial da Hogan em seus instrumentos. Por mais que você se julgue um incrível entrevistador, com um “faro” incomparável para identificar talentos, estatisticamente esse seu talento para seleção servirá para contratar alguém parecido com você mas não tem a mesma validade que o HPI lhe propicia.