As vantagens e desvantagens do perfeccionismo

Sabe o que Steve Jobs, Michael Jackson e Leonardo Da Vinci têm em comum? Além do talento, todos eram perfeccionistas. O mesmo provavelmente pode ser dito de Madonna e do temido chef Gordon Ramsay (do programa Hell’s Kitchen). Você ainda vai se lembrar de vários outros indivíduos que fazem parte do seu dia a dia ao ler sobre as principais vantagens e desvantagens do perfeccionismo.

O perfeccionismo bom

Sejam nas artes, na ciência ou nos negócios, perfeccionistas se devotam totalmente – e até obsessivamente à qualidade. Isso é bom ou ruim?

É comum ouvirmos em processos seletivos candidatos declararem seu perfeccionismo como um defeito. Outros, por outro lado, consideram a característica algo favorável. De fato, poucos traços ilustram tão bem a fina linha entre normalidade e anormalidade quanto o perfeccionismo.

A característica central do perfeccionismo é um grande medo de falhar. Como julgam não ser tão bons quanto de fato são, o perfeccionista investe muito tempo e energia para melhorar, algo que os psicólogos caracterizam como uma manifestação adaptativa da síndrome do impostor.

Assim, movidos pelo medo de falhar, os perfeccionistas acabam conquistando o que muitos não conseguem.

O perfeccionismo ruim

Apesar de resultar em grandes feitos, o perfeccionismo também pode levar à procrastinação e a vários comportamentos autodestrutivos quando não é acompanhado de resiliência ou ética.

A característica ainda pode resultar em uma propensão a estresse. Um estudo envolvendo estudantes de medicina, conhecidos por seu perfeccionismo, mostrou que o desempenho desses indivíduos é maior quando não estão sob estresse ou ansiedade – mesmo que não estejam satisfeitos com seus resultados.

Depende de quem está vendo

Como a maioria dos traços, o perfeccionismo acaba se tornando um problema quando aparece em insuficiência ou em demasia.

Existe ainda um fator para prever se o perfeccionismo de alguém será “bom” ou “ruim”: quanto eles focam neles mesmos e quanto eles focam nos outros?

Estudos indicam que, quando estão preocupados em não desapontar os outros, o desempenho do perfeccionista tende a ser pior. No entanto, quando seus maiores críticos são eles mesmos, seu desempenho costuma ser elevado, pois ficam mais focados em suas tarefas.

O perfeccionismo também afeta os outros de diversas maneiras. Amigos, parentes e familiares, por exemplo, podem sofrer com a devoção dos perfeccionistas ao trabalho e à carreira. Por outro lado, esses indivíduos são responsáveis por grandes feitos para a sociedade, inspirando os outros a aumentarem seus padrões e contribuindo para a inovação em seus campos.