É comum cometer erros durante o processo de desenvolvimento da carreira. Porém, existem alguns que devem ser evitados ao máximo, do contrário, podem prejudicar significativamente o desenvolvimento profissional e as conquistas do futuro. Saiba quais são:

Sonhar baixo

Seja salário, cargo ou tipo de empresa, os profissionais ficam muito intimidados pelos entrevistadores, com medo de questionar sobre o que a empresa espera e, posteriormente, sofrendo com a síndrome do impostor, isto é, mesmo quando se tem sucesso, não acreditar que é merecido. Essa postura é resultado de uma cultura de forte doutrinação autoritária de instituições parentais, educacionais e sociais que tendem a colocar a pessoa pra baixo e acabam com sua autoconfiança com o objetivo de controlá-lo.

Essa falta de confiança persistente é o problema número 1 sofrido pelos candidatos quando você tenta se vender bem.

Dizer não a si mesmo

Muitos profissionais desistem de se candidatar a uma oportunidade de emprego por não preencherem rigorosamente os requisitos da vaga. E isso é reflexo da falta da autoconfiança que se espalha como epidemia entre os profissionais de hoje.

A verdade é que as descrições de cargo e seus requisitos não importam muito na guerra do mercado de trabalho. O profissional que conquista a vaga é aquele que consegue provar que é capaz de usar as habilidades que já tem para melhorar os resultados da empresa e que é capaz, também, de se desenvolver nos aspectos que ele/a ainda não domina. Muitas vezes, profissionais altamente qualificados para uma vaga acabam perdendo a oportunidade pois alguém mais confiante conseguiu passar melhor impressão ao selecionador. Não existem regras definidas na busca de emprego hoje em dia. É por isso que os mentirosos e psicopatas conseguem os melhores empregos, pois são bons manipuladores – ainda que possam não se sustentar no emprego posteriormente.

Não entender o processo de busca de emprego

Para obter sucesso em um processo de seleção, é importante saber como lidar, manipular e negociar com as quatro entidades do processo: o profissional de RH, gestor requisitante, o headhunter e o recrutador interno. É importante saber se comportar de acordo com o papel e as expectativas de cada um deles.

Além disso, é importante entender que o processo de busca de empresa não mais se resume a: procurar por vagas de interesse, se candidatar, esperar por retorno e ir à entrevista. Hoje é imprescindível ter materiais relacionados ao seu portfólio profissional, além do currículo. O perfil no LinkedIn deve ser atraente e objetivo, a rede de contatos deve conter profissionais que o ajudem no networking e o profissional deve cuidar bem da própria imagem.

Tornar-se um faz tudo

Não ter uma especialidade e ser um “generalista” é um dos piores erros que um profissional pode cometer e que prejudica significativamente sua carreira. As empresas já não valorizam mais aqueles funcionários que fazem de tudo um pouco e não têm nenhuma especialidade. As organizações precisam de profissionais especialistas, com experiência e capazes de fazer a diferença dentro da empresa, em sua área de competência.

Trabalhar por muitos e muitos anos para uma única organização não é mais visto como um ponto positivo. É preciso ter especialização e experiência para se manter viável e se destacar da concorrência.

Comprometer as finanças e depender inteiramente do emprego

Apesar de todos saberem que é errado comprometer todo o salário para suprir um estilo de vida, isso é cada vez mais comum. O problema de não ter um planejamento financeiro independente, que não conte inteiramente com o salário, é que o profissional fica dependente do seu emprego e pode perder a chance de construir uma carreira fazendo algo que ele realmente goste.

Saiba como identificar os pontos fortes, os pontos a desenvolver de um profissional com o Hogan Carreira, que também fornece dicas de desenvolvimento dirigidas à pessoa que respondeu o inventário.